Avançar para o conteúdo

Melhores equipamentos para salvamento em altura 2023

Quando se trata de busca e salvamento em altura, equipamentos de ótima qualidade desempenham um papel crucial para garantir a segurança e eficiência dos bombeiros. Nessas situações desafiadoras, onde cada segundo conta, confiar em equipamentos confiáveis e duráveis é fundamental.

Os bombeiros enfrentam uma variedade de desafios, desde resgates em edifícios elevados até operações em terrenos acidentados. É por isso que investir em equipamentos de alta qualidade, projetados especificamente para busca e salvamento em altura, é essencial.

Esses equipamentos não apenas permitem que os bombeiros realizem seu trabalho de maneira mais eficaz, mas também lhes proporcionam maior confiança em situações de risco, permitindo que se concentrem na missão de salvar vidas.

Leia também: Melhores ferramentas usadas pelos bombeiros

Ascensor Para Corda Dupla – Petzl

Segurança: A Petzl é uma marca reconhecida pela qualidade e segurança de seus equipamentos. O ascensor para corda dupla é projetado para garantir uma fixação segura à corda, proporcionando confiança ao usuário durante a subida ou descida.

Compatibilidade com outros Equipamentos: O ascensor da Petzl é compatível com outros equipamentos de segurança, como sistemas de ancoragem, cadeirinhas e capacetes, permitindo a criação de um conjunto completo de equipamentos de proteção individual para atividades em altura.

  • Desenvolvido para subida em cordas duplas usando a técnica foot-lock ou usando dois ascensores de pé PANTIN
  • Materiais: alumínio, aço inoxidável, plástico, borracha, poliamida
  • Compatibilidade de corda: 8 a 13 mm

Capacete de Resgate de Emergência Capacetes de Segurança

  • Design reflexivo de 360 graus, as tiras reflexivas são firmes e uniformes, claramente visíveis no escuro.
  • Circunferência da cabeça ajustável, tamanho único.
  • O interior do capacete adota material de couro de alta qualidade, durável, respirável e confortável de usar.
  • A parte superior do capacete possui orifícios de ventilação para uma boa ventilação.

APACETE FOCUS AMARELO (CLASSE A) CA 14816 – ALPINISMO E TRABALHO EM ALTURA

O capacete Focus, primeiro a receber a certificação pelo INMETRO, é ideal para ser utilizado em diversas atividades esportivas como escalada em rocha, resgate, alpinismo e espeleologia, entre as temperaturas de -19º até 49º. Fabricado em ABS (acrilonitrila butadieno estireno) e com tratamento UV é leve, confortável, possui fitas antialérgicas, testeira acolchoada, suportes de lanterna e slot para viseira, protetor auricular e encaixe para protetor de nuca.

EXCLUSIVIDADE: ventilação frontal, laterais e traseira protegidas por telas, tornando o Focus o capacete mais ventilado do mercado. Sua resistência garante total proteção ao usuário.

DESCRITIVO TÉCNICO

  • – Casco injetado em ABS (acrilonitrila butadieno estireno) com tratamento UV
  • – Casco com ventilação frontal, lateral e traseira protegidas por telas
  • – Suportes de lanterna feitos em ABS
  • – Jugular com 3 pontos de ancoragem com fitas antialérgicas fabricadas em
  • poliamida
  • – Reguladores e fivela em Nylon
  • – Testeira de polietileno com quatro amortecedores (sendo dois frontais e dois laterais).

Vertex – Capacete Confortável Petzl

  • Capacete fechado para trabalho em altura e resgate.
  • Desenvolvido com a tecnologia CENTERFIT que permite uma perfeita centralização do capacete na cabeça, graças aos dois roletes de ajuste laterais. Esse sistema de ajuste permite que a aproximação ou afastamento das cintas sejam feitas ao mesmo tempo, o que evita que a cabeça do usuário permaneça muito próxima a um dos lados do casco.
  • O sistema FLIP&FIT permite que o contorno da cabeça seja posicionado em uma posição mais baixa, aumentando a área de proteção e garantindo que o capacete se encaixe com segurança na cabeça. Esse sistema pode ser dobrado para dentro do casco, para facilitar o armazenamento e transporte do capacete.

Corda Dinâmica Gilmonte Titan 11mm CE UIAA

A corda Titan é uma corda projetada principalmente para escalada indoor e construída com um alto nível de segurança e durabilidade para o uso em paredes de escaladas artificiais, o que torna ela uma corda muito compacta e flexível com uma excelente resistência.

Uma corda altamente resistente e de máxima segurança. Ideal para paredes de escaladas artificiais (indoor), parede de rocha e montanhismo.

Vonder Corda Multifilamento Trançada 12 X 140 M 

  • Diâmetro da corda: 12 mm
  • Comprimento total da corda: 140 m
  • Material da corda: Polipropileno – PP
  • Cor da corda: Amarela
  • Tipo de filamento da corda: Multifilamento
  • Tipo de encordamento: Trançado

Corda de escalada estática de rocha de 1,27 cm de 30 m 

  • Diâmetro: 2/5 polegadas, Comprimento: 100 pés. Força de tração máxima: 20 KN (4400 lbs).
  • Adota 50 fios de poliéster de alta resistência nos núcleos internos, a pele externa é reforçada de poliéster firmemente tecido, mais resistente ao desgaste e durável.
  • Excelente resistência à umidade, raios UV, não solta bolinhas. Peso: 80 g/metro, suavidade moderada, fácil de nó.
  • Evite quedas de excesso de velocidade, caso contrário, irá acelerar o uso da bainha da corda. A temperatura de armazenamento ou trabalho não deve exceder 80 graus Celsius.
  • Corda de segurança profissional, adequada para sobrevivência ao ar livre, escalada de montanha, emergência de incêndios, escalada de rochas e outras atividades ao ar livre, etc.

Corax – Cadeirinha versátil para escalada Petzl

  • Cadeirinha em dois tamanhos ajustáveis projetada para diversas atividades como escalada, montanhismo, etc.
  • Construção durável para diversas atividades, sua tecnologia FRAME permite que o peso seja distribuído entre o cinto e as perneiras.
  • Cinto equipado com quatro fivelas DOUBLEBACK em aço (duas fivelas para ajuste da cintura e uma em cada perneira), com travamento automático, o que permite ajuste rápido e fácil centralizando a cadeirinha e mantendo os porta-materiais na posição ideal.
  • FÁCIL DE USAR: O arnês CORAX possui construção durável para atividades de verão e inverno.

Freio oito Big em aço resgate SideUp 50KN com orelha

Um freio em aço carbono com orelha, modelo Resgate da SideUp, para corda de 9mm até 16mm. Possui um formato grande que facilita os trabalhos, e aumenta a possibilidade da utilização de cordas mais grossas.

Freio oito com orelhas, feito em aço carbono de alta resistência, carga de ruptura segundo normas internacionais de 50KN.

Cordex Plus – Luva Reforçada para Rapel Petzl

  • Luva para rapel, confeccionada em couro natural de alta qualidade com palma reforçada.
  • Dupla camada de couro em áreas de maior desgaste (ponta dos dedos, palma, entre o polegar e o dedo indicador).
  • Com corte ergonômico que se ajusta a mão sem a necessidade da luva estar apertada.
  • País de origem do produto: FR

Am’D – Mosquetão em Alumínio Tripla Trava Automática Petzl

  • Ótima funcionalidade, graças à sua capacidade e dimensões
  • Fácil de manusear e ergonômico
  • Design manter excelente firmeza mesmo utilizando luvas
  • Sistema Keylock evita que o mosquetão se enrosque durante o manuseio.

Am’D – Mosquetão em Alumínio Twist Lock Petzl

  • Ótima funcionalidade, graças à sua capacidade e dimensões
  • Fácil de manusear e ergonômico
  • Design manter excelente firmeza mesmo utilizando luvas
  • Sistema Keylock evita que o mosquetão se enrosque durante o manuseio.

Pitagor – Triângulo de Evacuação Petzl

  • Triângulo de evacuação com alças que se colocam e ajustam muito facilmente
  • Possui fivelas autoblocantes DoubleBack.
  • Certificações: EN 1497 e EN 1498

Asap Lock – Trava-Quedas com Função Lock Petzl

  • Trava Quedas Para Cordas Compatível Com Cordas De 10 A 13 Mm De Diâmetro.
  • Funciona Em Cordas Verticais Ou Oblíquas. Trava Na Corda Mesmo Que Seja Agarrado Pelo Usuário Durante A Queda (Reação Natural).
  • Com Função De Bloqueio Integrado Que Permite Ao Utilizador Imobilizar O Aparelho Para Reduzir A Altura Da Queda, E Em Caso De Vento Forte, Esta Função Evita Também Que A Corda Seja Puxada Para Cima.
  • Simples de usar e eficaz: – sobe ou desce a corda, sem qualquer manipulação manual do dispositivo – fácil de instalar e remover em qualquer ponto da corda – braço de conexão torna o sistema resistente a perdas ao passar âncoras intermediárias – pode ser usado com um absorvedor de energia para trabalhar à distância da corda: o ASAP’SORBER (versão europeia ou internacional) ou ASAP’SORBER AXESS permite usos de até 250 kg em situações de resgate de duas pessoas

Peitoral corporal Avao da Petzl

  • Cinto de segurança tipo paraquedista para acesso por corda, trabalho em altura e resgate com certificações CE, NFPA, ANSI e CSA – Petzl
  • Com seis pontos de conexão, sendo cinco para ancoragens e um para restrição. Os pontos de ancoragem são no formato D em alumínio, sendo, dois para posicionamento nas laterais da cintura, um ventral, um peitoral e um dorsal. O de restrição é em tecido, no meio da cintura na parte traseira.
  • Certificações: ANSI Z359.11, NFPA 1983 classe III, CSA Z259.10, CE EN 361, CE EN 358, CE EN 813
  • Suporta até 140 kg (150 kg com o peso do material).

Quais são as fases táticas de salvamento em altura?

  • Reconhecimento: Avaliação da situação, identificação de perigos e análise de riscos.
  • Preparação: Reunião dos equipamentos necessários e verificação de sua condição.
  • Acesso: Criação de um ponto de acesso seguro à vítima.
  • Estabilização: Utilização de técnicas para garantir a segurança da vítima e evitar movimentos bruscos.
  • Resgate: Transferência segura da vítima para um local onde possa receber tratamento médico adequado.
  • Reavaliação: Verificação final de todas as vítimas, segurança da equipe e recolhimento de equipamentos.

Quais são os equipamentos necessários para salvamento em altura?

  • Arnês de segurança
  • Capacete
  • Cordas e sistemas de ancoragem
  • Descensores e bloqueadores
  • Mosquetões e conectores
  • Cintos e talabartes de posicionamento
  • Dispositivos de comunicação
  • Macas e sistemas de içamento
  • Iluminação

Quais são as condições básicas para um resgate em altura?

  • Avaliação da situação
  • Equipamentos adequados
  • Treinamento e experiência
  • Comunicação eficaz
  • Avaliação contínua
  • Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados
  • Plano de contingência
  1. Avaliação da situação: É necessário avaliar a gravidade da situação, incluindo a altura envolvida, a localização precisa da vítima e os riscos associados, como instabilidade estrutural, condições climáticas adversas, fogo ou produtos químicos perigosos.
  2. Equipamentos adequados: Os resgatistas devem ter acesso a equipamentos apropriados, como cordas, arneses, capacetes, sistemas de ancoragem e dispositivos de segurança, que sejam adequados para o tipo de resgate em altura que será realizado.
  3. Treinamento e experiência: Os membros da equipe de resgate devem ter treinamento adequado em técnicas de resgate em altura, incluindo conhecimento de nós, sistemas de ancoragem, técnicas de ascensão e descida, além de habilidades de comunicação e trabalho em equipe.
  4. Comunicação eficaz: É essencial estabelecer e manter uma comunicação clara entre os membros da equipe de resgate, bem como com a vítima, para coordenar as ações e garantir a segurança de todos os envolvidos.
  5. Avaliação contínua: Durante a operação de resgate, é importante realizar avaliações contínuas das condições, monitorar a segurança da equipe e ajustar as estratégias conforme necessário.
  6. EPI adequado: Os resgatistas devem usar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados, como capacetes, luvas, botas e roupas resistentes ao fogo, para proteger-se de riscos potenciais durante o resgate.
  7. Plano de contingência: Deve-se ter um plano de contingência estabelecido para lidar com situações imprevistas, como mudanças nas condições climáticas, dificuldades técnicas ou problemas de comunicação.

O que é o sistema de ancoragem?

O sistema de ancoragem é um conjunto de dispositivos e técnicas utilizados para fixar uma linha de segurança, corda ou equipamento em uma estrutura estável e segura durante operações de resgate em altura ou trabalhos verticais. Ele é fundamental para garantir a segurança dos resgatistas e das vítimas durante a operação.

O sistema de ancoragem pode incluir elementos como ancoragens fixas, como pontos de ancoragem permanentes em estruturas, ou ancoragens móveis, como dispositivos portáteis ou estruturas improvisadas.

Esses pontos de ancoragem são escolhidos cuidadosamente para fornecer resistência suficiente e suportar as cargas geradas durante o resgate ou trabalho em altura.

Além disso, o sistema de ancoragem envolve o uso de conectores, como mosquetões ou anéis de ancoragem, para prender a linha de segurança ou corda à ancoragem. É essencial que os conectores sejam devidamente dimensionados e capazes de suportar as cargas esperadas durante a operação.

Quais são os EPIs mais usados na NR 35?

A NR 35 (Norma Regulamentadora 35) estabelece as diretrizes de segurança para trabalho em altura no Brasil. Entre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) mais comumente utilizados em conformidade com a NR 35, estão:

  • Capacete: Protege a cabeça contra impactos e objetos em queda.
  • Cinturão de segurança tipo paraquedista: É utilizado para prender o trabalhador à linha de vida, proporcionando suporte e segurança durante o trabalho em altura.
  • Talabarte de posicionamento: Auxilia no posicionamento seguro do trabalhador em áreas de risco, permitindo maior mobilidade enquanto mantém a linha de vida segura.
  • Talabarte de segurança: Conecta o cinturão de segurança à linha de vida ou ponto de ancoragem, prevenindo quedas em caso de falha de suporte.
  • Luvas de proteção: Protegem as mãos contra lesões, cortes e abrasões durante o trabalho em altura.
  • Óculos de proteção: Protegem os olhos contra detritos, partículas suspensas e respingos.
  • Calçados de segurança: São resistentes a impactos, perfurações e escorregões, fornecendo proteção adequada para os pés durante o trabalho em altura.
  • Roupas de segurança: Podem incluir macacões, jaquetas ou coletes refletivos, dependendo das condições de trabalho, para aumentar a visibilidade e proteção do trabalhador.

Para que serve o talabarte tipo Y?

O talabarte tipo Y é usado para conectar o cinturão de segurança (normalmente do tipo paraquedista) à linha de vida ou ponto de ancoragem. Ele oferece uma maior mobilidade e liberdade de movimento ao trabalhador, permitindo que ele se desloque verticalmente ou realize tarefas em locais de difícil acesso.

Ao usar um talabarte tipo Y, as duas linhas laterais são fixadas em pontos de ancoragem separados, enquanto a linha central é conectada ao cinturão de segurança do trabalhador.

Isso cria uma configuração em que o trabalhador pode se mover verticalmente, mantendo pelo menos uma das linhas laterais conectada em todos os momentos para garantir a segurança contra quedas.

2 comentários em “Melhores equipamentos para salvamento em altura 2023”

  1. Pingback: Resgate em Altura: Dicas e Cuidados para Proteger Vidas - Bombeiros do Brasil

  2. Pingback: 2º Sargento CTSP do Corpo de Bombeiros RS - Bombeiros do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *